quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Campo Grande vai ter R$ 120 milhões para construção de novos terminais de ônibus

27/12/2011 - Campo Grande News

Foi publicada na edição desta segunda-feira do Diário Oficial de Campo Grande a lei que autoriza o Poder Executivo a contratar empréstimo de R$ 120 milhões com a Caixa Econômica Federal, relativo ao programa de mobilidade do PAC II (Programa de Aceleração do Crescimento). O texto anuncia o projeto de construção de quatro novos terminais de transporte coletivo urbano na Capital.

As novas unidades de transbordo serão construídas nos bairros Parati, Tiradentes, São Francisco e avenida dos Cafezais, no Centro Oeste.

Além dos novos terminais, o recurso será destinado para reforma ou ampliação do Terminal Morenão, bem como a construção de corredores de ônibus.

Conforme a publicação, os novos corredores na região Sudoeste do município seguirão os itinerários: avenida Guinter Hans (Marechal Deodoro) – Terminal Aero Rancho/Terminal Bandeirantes; avenida Bandeirantes - Terminal Bandeirantes/avenida Afonso Pena; Afonso Pena – avenida Bandeirantes/Shopping Campo Grande; avenida Afonso Pena - Shopping Campo Grande/Rua Guia Lopes; Rua Guia Lopes - Afonso Pena/Rua Brilhante; Rua Brilhante - Rua Guia Lopes/avenida Marechal Deodoro; avenida Marechal Deodoro - Terminal Bandeirantes/Terminal Aero Rancho.

Já na região Sul os corredores seguirão os trajetos: avenida Gury Marques - Terminal Guaicurus/Terminal Morenão; avenida Costa e Silva - Terminal Morenão/Rua Hélio de Castro Maia; Rua Rui Barbosa – Hélio de Castro Maia/avenida Mato Grosso; Rua 13 de Maio - Mato Grosso/avenida Eduardo Elias Zahran; avenida Costa e Silva - Eduardo Elias Zahran/Terminal Morenão; Gury Marques - Terminal Morenão/Terminal Guaicurus.

Na região Norte os corredores seguirão os percursos: Rua Bahia – Afonso Pena/avenida Coronel Antonino; Coronel Antonino - Rua Bahia/Terminal General Osório; Rua Cônsul Assaf Trad - Terminal General Osório/Terminal Nova Bahia; Rua Cônsul Assaf Trad - Terminal Nova Bahia/Terminal General Osório; Rua Alegrete – avenida Mascarenhas de Moraes/Rua 25 de Dezembro; 25 de Dezembro - Rua Alegrete/Afonso Pena; Rua Antônio Maria Coelho – Rua 14 de Julho/avenida Ceará; avenida Mato Grosso - Ceará/13 de Maio.

Por fim, o recurso vai contemplar obras de intervenção viária com a construção de abrigos de ônibus e estações de embarque/desembargue pré-pago, os Peg-Fácil, bem como a compra de equipamentos e sistema de controle.

A lei ainda autoriza o Poder Executivo a abrir crédito especial no orçamento de 2012 até o valor de R$ 70 milhões para o início da execução “das ações e metas dos empreendimentos que integram este programa, objeto dessa Operação de Crédito autorizada".

domingo, 30 de outubro de 2011

Em Campo Grande, Ônibus das linhas vermelhas não irão mais aceitar dinheiro

30/10/2011 - Correio do Estado

A partir do dia 1º de novembro (próxima terça-feira), 19 itinerários da linha vermelha do transporte coletivo da Capital não irão mais aceitar dinheiro no pagamento da passagem. A medida faz parte da operação “caixa limpo”, que foi anunciada em audiência pública por vereadores, prefeitura, empresas do transporte coletivo e representantes do Ministério Público Estadual (MPE).

Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

As linhas vermelhas são responsáveis por ligar os terminais de embarque ao centro da cidade. Segundo o diretor de departamento operacional da Agetran, Luiz Alencar, essa mudança vai atingir 60% de toda a demanda municipal, que atualmente é de 300 mil passageiros por dia.

A medida começou no dia 26 de agosto, quando os 45 ônibus articulados da Capital passaram a aceitar apenas o cartão como forma de pagamento. O diretor da Agetran, Rudel Trindade, avaliou positivamente a mudança. “Fizemos o monitoramento em 3 articulados e o resultado foi positivo”, explica, dizendo que dos 120 passageiros que usaram esses três coletivos, apenas 9 não tinham o cartão.

De acordo com a Agetran, desde que houve a mudança nos ônibus articulados, o número de pessoas que utilizam dinheiro como forma de pagamento caiu 13% em um mês. “Em agosto tínhamos um percentual de 30% de usuários que utilizavam dinheiro. Em setembro esse número caiu para 17%. A previsão é de que esse índice fique em 10% em novembro”, afirma Alencar.

A próxima etapa da media será realizada no dia 1º de janeiro, quando todos os demais ônibus da cidade deixarem de aceitar dinheiro como pagamento. “A mudança está sendo feita por etapas para não prejudicar a população. Até o começo do ano que vem, o sistema vai funcionar totalmente sem dinheiro”, declara Rudel.

Segurança
Em entrevista ao Portal Correio do Estado, o comandante da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto David dos Santos, disse que a medida irá reduzir drasticamente o número de assaltos à coletivos na Capital.

A preocupação das pessoas, é que com a falta de dinheiro no caixa dos ônibus, os passageiros se tornem alvos do criminosos, “A possibilidade dos passageiros serem assaltados é pequena. O que leva os bandidos a praticarem o assalto, é o fato do dinheiro estar concentrado com o motorista, é uma ação muito rápida”, finaliza Coronel David.  

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Campo Grande pode ganhar cinco novos terminais de ônibus

23/05/2011 - Capitalnews.com.br

Foto: Deurico/Arquivo Capital News

Campo Grande pode ganhar cinco novos terminais de ônibus, caso seja aprovada a proposta de Mobilidade Urbana do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), apresentada pelo prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), juntamente com o diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Rudel Trindade, na última sexta-feira (20), em Brasília.

Os recursos para o projeto apresentado pela prefeitura da Capital chegam a R$ 280 milhões. Entre os projetos apresentados esté a construção de cinco novos terminais de ônibus para Campo Grande. Em entrevista ao Capital News nesta segunda-feira (23), Rudel Trindade se mostrou confiante com a possibilidade de melhorar o transporte coletivo e confidenciou que o Ministério das Cidades não apresentou muitos questionamentos.

Caso seja aprovado o projeto da Capital, após nova reunião agendada para daqui um mês, a Capital terá quatro novos terminais nos seguintes locais: Avenida Cafezais com a Gury Marques, chamado Terminal Cafezais, Terminal Tiradentes, no cruzamento da Euller de Azevedo com a Tamandaré, Terminal Tiradentes, na saída para Três Lagoas, Terminal Parati, no cruzamento da Rua da Divisão com a Orange.

Segundo Rudel, o Terminal Morenão deve ser reconstruído, pois “está saturado e não suporta mais o total de usuários”. Com a nova proposta, o Terminal será instalado mais próximo a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), no entroncamento da Via Morena com a Costa e Silva. Além da construção dos cinco novos terminais, ainda está previsto a reforma dos sete existentes hoje na Capital.